Home / Eventos / Campus Party / Campus Party X – Open Campus

Campus Party X – Open Campus

Hoje vou falar, com algum atraso, de um dos maiores eventos de Tecnologia, Empreendedorismo, Autossuficiência, Cooperação e Poder-Nerd da atualidade. Hoje vou falar da Campus Party.

Edificio de entrada da Campus

Mas, para mudar um pouco, vou falar da Open Campus (área gratuita do evento) dessa vez.

Antes de continuar, deixe-me dizer que este ano estou aumentando meu nível de “diferentão” e me tornando um eremita tecnológico e me excluindo um pouco do mundo dos dispositivos inteligentes (leia-se Smartphones, Celulares e Tabletes).

A Open Campus é a parte da Campus onde todos podem participar, quer sejam pagantes ou não. E o melhor, é uma área realmente bem interessante e cheia de coisas pra se fazer (não se compara com a parte paga do evento, mas é realmente bem eficaz). Ela normalmente acontece em uma área separada do evento.

O negócio é: Diferente do evento principal (leia-se a parte paga), aqui as coisas são todas baseadas em tempo e paciência.

Do tipo, se tu quer fazer algo tu vai ter que ter tempo e, por causa da popularidade da Campus, pra tudo que tu fizer tu vai ter que ter paciência.

Este ano fui com um amigo acompanhar o evento “A Batalha dos Robôs”, patrocinada (lindamente) pelo Submarino (e, pra todos os casos, chamada “Submarino Ultimate Robot Combat”). O ponto é que a batalha dos robôs é REALMENTE um evento renomado e, não menos importante, bastante popular, isso se dá pelo quão interessante e bacana o evento é mas também por causa das inúmeras propagandas que Podcasts e Videocasts fazem para o evento.

Para conseguir acompanhar o evento “confortavelmente” tu deveria ter um smartphone com o aplicativo do Submarino instalado nele e isso, quase automaticamente, já te exclui se tu não tem um smartphone das principais plataformas (ou seja, se tu tem um Windows Phone, BlackBerry, Symbian e afins, esquece) e também, ao mesmo tempo, te exclui se tu não usa dispositivos (oh eu aqui), tendo isso tu entraria n’uma fila para talvez fazer parte da plateia-arquibancada.

Então, tive de abaixar a minha cabeça e fazer parte da plateia geral (o que não é um problema, a Campus é um evento bem estruturado e não estava desconfortável), ou seja, de pé e no meio da galera.

Cara, COMO TINHA GENTE ALI.

E o grande ponto, acho que todos aqui sabem claramente, é que quando há uma grande quantidade de pessoas num local, a não ser que seja para um evento extremamente bem estruturado e “tradicional” (tal qual cultos, assembleias, debates), a chance de virar bagunça é consideravelmente alta.

Enquanto isso não se demonstrou verdade aqui (Campuseiros tendem a ser bastante “deboistas”), pessoas estavam animadas e bem humoradas, todos queriam a participação geral e estavam abertos para ajudar e cooperar. Mas ainda assim, muita gente e alguns querendo, obvio, tirar proveito (tipo furar fila ou entrar na frente de outra pessoa pra ver a arena).

As batalhas são incríveis.
Uma das coisas mais legais é que tu pode ver os times montando e tunando (aprimorando) os robôs bem atrás da arena, isso deixa tudo bastante mais humano e bastante mais… rustico, simples, menos distante. O que é dizer muito pr’um evento chamado de “Submarino Ultimate Robot Combat”. Digo… robôs, submarinos, ultimatos e combate são coisas bastante distantes da nossa realidade em sociedade, em geral.

E o evento ficou especialmente mais legal por causa da participação de “estrelas” da rede, ajudando a aumentar o Hype dos acontecimentos e devidamente animando a(s) plateia(s).

E isso era só UMA parte do evento.

Entre as outras coisas possíveis de serem feitas tínhamos, por exemplo: os simuladores de controle e pilotagem (tipo direção, aviação, helicópteros), e todos com MUITA fila. A corrida de drones (que não estava ativa enquanto estávamos lá, servindo mais como um terreno de testes de corrida (ou voo, no caso), inúmeras palestras e estandes para conhecer ideias e participar de workshops e de discussões e outras coisas mais.

Posso dizer que todos os conteúdos e participações de extrema importância e relevância, ao mesmo tempo que interessantes e bastante intrigantes. Mas me prolongar muito seria inútil.

Então o ponto final é: participe da Campus Party, se tu não conseguir pagar pra ir para o evento “completo” participe da área aberta do evento, o valor que tu vai conseguir, as pessoas que tu vai conhecer e as possibilidades de crescimento são ótimas e bastante interessantes, daí: Por que não tentar?

Por último e, certamente não menos importante, a Campus Party (até onde eu saiba) sempre tem uma participação interessante da Cartoon Network. Nesse ano, além dos “seguradores de crachá oficiais”, também teve uma estátua em tamanho real do Finn (o humano) e do Jake (o cão) do Adventure Time. Me senti levemente triste de ver que eles são maiores que eu.

Estátua em tamanho real dos protagonistas de Adventure Time

Fico por aqui por um tempo e espero vocês em uma próximo post!

P.s.: As imagens desse post são do próprio Instagram da Campus, caso tu um recluso digital como eu, segue eles lá: Campus Party

Sobre ToshiOhMy

Tecnólogo, tecnofílico, excêntrico pobretão que curte umas cultura diferentes. Escreve sobre cultura pop, cultura unpop, jogos e contos.

Veja também

Campus, batatas e bancos de dados

Como já ficou claro, essa semana passada foi a semana da Campus Party, evento de …