Home / Listas / Top 10 Animações Nonsense

Top 10 Animações Nonsense

Vou falar de algo que me anima bastante e que me ajuda a mantar o nível das minhas piadas e da minha vida; falarei de:

Animações nonsense

Hoje venho lhes apresentar uma lista com as melhores animações nonsense que eu já acompanhei.
Vale ressaltar que é a lista ToshiOhMy de Top nonsense, ou seja: vai REALMENTE ser nonsense. Ou seja: se tu em algum momento achar que a lista não faz sentido, tu vai estar certo.

Antes de continuar: vou usar o titulo “original” da coisa, colocar a tradução oficial entre parênteses e a “interpretação” dos títulos entre chaves.
Então, vamos lá?


10. 暗殺教室 (Assassination Classroom) [ansatsu kyoushitsu]

Classe de Assassinato é uma das séries mais bizarras que eu já vi, sendo que o grande plote aqui é que um grupo de jovens do ensino médio estuda em uma instituição cujo objetivo, inteiro, é derrotar/matar um dos professores. Aí nós acompanhamos movimentos do governo, dos alunos, dos docentes e da administração da escola em tentar matar dito professor. Não fosse isso bizarro o bastante, o personagem “principal” (o professor) é um “alienígena” com vários tentáculos super poderosos e uma cara REALMENTE assustadora.

Se isso não soa estranho pra ti eu não sei o que pode ser.

Não menos importante, a série é cheia de mensagens inspiracionais, amostras de filosofias de vida, drama e coisas rotineiras.

É absolutamente interessante e válido de se acompanhar e ver. Porém a série tem um problema de “se tu ver muito fica chato”, então recomendo, sinceramente, alguma parcimônia ao tentar ver ela.

Pra ser bastante justo, eu não amei a série, achei ela divertida mas não consegui acompanhar até o final, mas ainda assim consigo reconhecer o valor e as nuances de nonsense que são apresentadas, e, também consigo reconhecer o quão bons são as animações de ação, por exemplos batalhas e lutas que acontecem.

Antes de terminar vale ressaltar que o manga esta sendo publicado no Brasil pela Panini, então vale a pena dar uma olhada.


9. バカとテストと召喚獣 (Idiotas, testes e seres invocados) [baka to tesuto to shoukanjuu]

Uma das minhas séries favoritas desta lista, esta aqui fala sobre um jovem garoto no ensino médio. Porém, como qualquer série japonesa, há uma extrapolação absurda de como funciona meritocracia e o sistema educacional japonês. E nisso temos uma escola com níveis de qualidade de ensino e de estrutura, vários alunos que estão em pontos errados dessa classificação (alunos incríveis em classes horríveis e vice-versa) e um corpo administrativo-docente complacente com a situação (naquele argumento: se não me afeta porque eu deveria me importar?). Pra não melhorar as coisas, nesse mundo a educação usa um sistema de “personagens” virtuais pra ajudar e incentivar o desenvolvimento de alunos (os seres invocados do título), e isso não ajuda, mesmo, na solução de problemas na trama.

E a melhor parte: os personagens são lindamente idiotas. Todos eles.

Pode soar estranho, mas eu acho bastante genuíno quando alguma série honra o estilo de vida idiota, afinal de contas, num mundo onde tudo e todos são cercados até a testa com informações se manter idiota é difícil. E estes aqui o fazem com muita, MUITA, habilidade.

Eu realmente amo personagens idiotas (verdadeiramente idiotas, neste caso, não aqueles forçados).

E, não menos importante, tem algumas situações aqui que saem completamente do mundo de coisas que podemos imaginar e pensar. Por exemplo esta situação aqui:

Um ultimo ponto: Esse anime tem um dos personagem que mais faz qualquer pessoa sã questionar o que é sexualidade, e vale bastante a pena ver SÓ por isso.


8. Amazing World of Gumball (O incrível mundo de Gumball)

Pra não dizer que eu sou simplesmente um fanático pela cultura nipônica de desenhos sequenciais coloquei aqui um desenho animado americano… ou no caso um desenho animado multinacional britânico-americano-irlandês. Porque, afinal de contas, multinacionalismo não tem que se limitar ao comércio e à produção de bens, pode ser adaptada a criação cultural também (e eu posso dizer isso, afinal sou um fruto disso).

De qualquer forma, o Mundo de Gumball é incrível. Do ponto em que ele é um desenho com o ideal de ser apresentado e “curtido” por crianças mas que, ao mesmo tempo, lida com problemas presentes na vida adulta e que mistura um grande, digo, enorme mundo diferente de formas de animação de desenhos.

Pode soar pedante, mas a forma com que personagens de diferentes “mundos” e diferentes formas de animação interagem é absolutamente genial, lindo e, muitas vezes, engraçado.

Não menos importante as personagens são incríveis. Todos refletem um aspecto diferente do que são (seja um adulto ou uma criança) e todos eles entregam mais do que se espera deles. Ou seja, nenhum é simplesmente um estereótipo (ou quando o é, faz genialmente). E a parte mais legal disso é que eles demonstram que o realmente importante não é o quão diferente uma pessoa é, mas o quanto interessante é a diferença e o quanto respeitar isso é legal para todos.

Mas tal qual o Assassination Classroom, esta animação sofre da síndrome de sobre uso, o que quer dizer: assista ela sem receio, mas use parcimônia para acompanhar a série e tenha certeza de “dar um tempo” entre cada episódio. Ou seja, faça como o canal que o apresenta e assista quando passar, ou de-vez-em-quando e tu vai ter uma experiência ótima.


7. この素晴らしい世界に祝福を (Give Blessings to this Wonderful World) [kono subarashii sekai ni shukufuku wo]

Nestes últimos anos tem-se visto uma explosão de releituras sobre a cultura da idade média (englobando a idade média baixa e alta, o iluminismo e a primeira era industrial), e no Japão isso não se mostrou tão diferente. Inúmeras obras abordando essas eras foram apresentados ou abordados por inúmeras fontes culturais, animes e mangas não foram tão diferentes.

Mas, estamos falando do Japão, ora bolas.

Nas séries que abordaram esta sub-cultura o que mais vemos aparecendo nas terras nipônicas são a abordagem “Uma pessoa da modernidade voltando para o passado”. E cara, se por um lado nós, modernos, temos mais conhecimento do que uma pessoa das eras passadas jamais pensaria em ter, eles eram fisicamente muito melhores do que pensamos e muito mais…

O grande ponto é que aqui temos um jovem recluso (leia-se perdedor, isolado, viciado em jogos eletrônicos digitais) que morre e, por acaso, é selecionado para renascer em um novo mundo onde magia e o fantástico existe (não a revista digital).

E vemos que a coisa é bem pior que se imagina.

Não menos importante, ao ser “mandado” para este mundo ele teve o direito de escolher algo para começar a aventura, e, no caso dele, ele escolhe a selecionadora (afinal de contas, regras).

E a coisa fica linda.

Com personagens interessantes, situações estranhamente acreditáveis e com certa veracidade, a série demonstra que tudo e nada é ao acaso e que, em verdade (de novo) o que tu recebe não é necessariamente um reflexo do teu esforço. Ah, sim, nesse anime também temos um caso de “personagens fofas mas realistas”, então é bastante interessante.


6. ワンパンマン (One Punch Man) [wanpanman]

Um cara que resolve, basicamente, todos os problemas do mundo com um soco.
É isso. Sério, eu não tenho que tentar vender essa série, vai lá e vê tu mesmo.

Só não fica mais alto na lista porque a série é mais sobre ação e sobre uma história legal do que sobre ser nonsense.

Ela fica em uma posição relativamente alta porque é REALMENTE engraçada e porque tem uma trila ABSURDAMENTE legal (estou olhando pra abertura que é uma obra de arte em si).


5. 坂本ですが (Haven’t you heard? I’m Sakamoto) [sakamoto desu ga]

A história de um cara que é absurdamente legal.

Não do tipo, ele faz coisas legais e é bacana.
Mas sim do tipo: ele faz coisas absolutamente ridículas e absurdas de maneiras legais (tipo dar um mortal surfando em um boto rosa no deserto).

Que sá em algum momento exatamente este exemplo acontece no anime. É incrível e ótimo.

Mas é péssimo se tu, pessoalmente, tenta ser uma pessoa legal e bacana o tempo todo, ele meio que te faz sentir mal… talvez… ouvi isso de um amigo…

(Senta num canto e chora)


4. 小林さんちのマイドラゴン (Miss Kobayashi’s Dragon Maid) [kobayashi-san chi no maidragon]

Uma programadora (já para quebrar estereótipos e demonstrar que o mundo moderno não tem preconceitos) se torna a melhor amiga e mestre de uma empregada, isso acontece no mundo real atual e moderno, ou seja a presença de tecnologias é constante, tu consegue sentir o stress da personagem principal e, como uma boa programadora, tu consegue ver que ela é preguiçosa e, principalmente, não tem uma aptidão física tão respeitável.

Até aí, tudo bem. A realidade é mais ou menos assim.

Mas aí que entra o principal plote dessa animação: a empregada é um dragão.

Não do tipo pessoa muito feia, dragão.

Bem literalmente, dragão. Daqueles que “cospem fogo”, voam, têm poderes mágicos incríveis e poderosíssimos, são super inteligentes e conseguem acabar com heróis como se fosse algo cotidiano.

E a situações ficam bem interessantes, porque temos um personagem mágico acostumado com um mundo de fantasia medieval participando de eventos e da cultura moderna. Não menos obstante esse personagem é extremamente poderoso e capaz, ao mesmo tempo que desconhece algumas (várias) das coisas e costumes humanos.

Por ultimo: o anime tem personagens bastante “reais” (no que um dragão pode ser real) e FOFAS!

O anime ainda está sendo produzido/lançado. E pode ser visto no CrunchyRoll.


3. 斉木楠男のΨ難 (The Disaster of Psi Saiki Kusuo) [saiki kusuo no Psi nan]

Um certo Saiki Kusuo é um esper.

E, ainda por cima, ele é um esper de classe maior, com poderes incríveis e amplos, muito tempo livre e um grupo infinitamente grande de idiotas o circundando. Sendo que seus principais poderes são baseados no psíquico (o Psi do Quico).

Todos os capítulos e historietas apresentadas na série (tanto no manga quanto no anime) são piadalhos do carilho com a letra Ψ (psi). Como um bom piadista e exportador de depressão, admiro isso e faço do anime um dos meus Top 3.

Sério, piadas ruins realmente mudam e me inspiram.

Esta série tem MUITAS piadas horríveis. Mesmo.

Do tipo: eles vão pra Inglaterra pra fazer uma piada pra inglês ver.

(todos choram)

Imagem de Saiki Kusuo chateado
Capa da primeira edição do manga

Não menos obstante, ele demonstra que pessoas sempre tem mais de um objetivo e sempre são mais profundas do que se pensa, mas ao mesmo tempo são sempre mais levianas e fúteis do que se pode imaginar. É admirável, de fato.


2. 日常 (My Ordinary Life) [nichijou]

Eu não consigo descrever esse anime.

Ele é primoroso. Ele é lindo. Ele é recheado de piadas, piadalhos, piadinhas, trocadilhos. Ele tem as melhores esquetes que eu já vi em um anime. Ele pode ser visto de forma passiva ou ativa sem problema (dando um tempo entre episódios ou binge-watching tudo). Ele tem os MELHORES personagens que eu já vi em um anime.

Independente de como eu veja é um anime excelente.

E não menos importante, ele demonstra que a vida e a realidade não é nada mais nada menos do que um conjunto infinitamente grande de coincidências, então, porque ficar bolado com as coisas? Faça o que tu quiser. Se der certo, bem, senão.. ah man.

E, cara, como o áudio (não só as musicas, nesse caso) é bom. Tanto a dublagem quanto as musicas e os efeitos sonoros são primorosos.

Veja como exemplo essa abertura:


1.銀魂 (Gintama) [gintama]

Gintama tem um lugar especial no meu coração. Mesmo.

É um anime sobre três personagens bosta, vivendo em uma realidade bosta e tirando proveito disso.

E a melhor parte: é uma série de anime que se baseia em zoar outras séries, isso em si não é admirável. Mas o ponto é que essa série tem a liberdade de zoar com os “principais” animes e mangas que saem no Japão, ou seja, as séries mainstream que são publicadas na Shonen Jump (imagine uma revista que, quase universalmente, todos que gostam de mangas leem, esse é A revista). O que faz com que eles possam zoar Bleach, Naruto, One Piece, Dragon Ball e todos os outros animes e acontecimentos populares sem terem problemas.

É lindo ver séries que “se levam a sério” serem zoadas. E Gintama faz isso com MUITO gosto.

E não menos importante: a série tem uma história (extremamente épica) própria, tem personagens incríveis e bastante admiráveis, a série não tem escrúpulos pra zoar (tudo e todos são zoados, tipo o Brasil). Por exemplo: a esquete que eu mais gosto do anime:

O anime, não menos importante, é sumariamente longo (tipo One Piece, Bleach e Naruto), tem muitos arcos de história e sempre tem algo de engraçado (mesmo em momentos “sérios”) e sempre tem algo a criticar/ensinar.

Mas, mesmo assim, ele tem falhas. Sendo a principal ser levemente… cansativo. Assistir muitos episódios em sequencia seriamente cansa. O que, nessa lista, chamei de síndrome de sobre uso. Mas ela, tal qual O Mundo de Gumball é extremamente interessante de se assistir esporadicamente.

E a série não se segura no quesito de apresentar novas musicas e novas culturas sendo que ele consegue superar Bleach em “numero de aberturas em uma única temporada”, o que é realmente algo a ser admirado.

A Crunchyroll tem em seu Rol de animações.


Menções Honrosas

A minha lista termina ali, mas isso não quer dizer que não há outras séries nonsense que eu já tenha visto, certamente não é isso. Apenas que essas citadas há pouco são as que eu considero mais legais.

Porém ainda há outras (muitas) que merecem alguma atenção também.

Pra citar algumas:

  • 犬とハサミは使いよう (Inu to Hasami Tsukaiyou) [Usemos Cães e Tesouras]

  • 競女!!!!!!! (Keijo!!!!!!) [Garotas competitivas!!!!!!!!]

  • ナンバカ (Nanbaka) [Meio idiota]

  • 下ネタという概念が存在しない退屈な世界 (Shimoneta to Iu Gainen ga Sonzai Shinai Taikutsu na Sekai) [O mundo onde o

    conceito de piadas sujas não existe]

  • 宇宙パトロルルル子 (Uchuu Patrol Luluko) [Patrulha espacial Luluko]

E por tempo é isso, meus caros.
Até uma próxima e ânimo pra vocês todos!
(Sacou?!?! Animo, Animações, Animes… 😃)

Sobre ToshiOhMy

Tecnólogo, tecnofílico, excêntrico pobretão que curte umas cultura diferentes. Escreve sobre cultura pop, cultura unpop, jogos e contos.

Veja também

15 Atores que foram substituídos de seus papéis

O lançamento de programas de TV não é apenas um processo complicado no início do …